• Riserva Zen Yoga Life

Saiba mais sobre os benefícios do Yoga para sistema respiratório, nervoso, mente e corpo

Aliado importante para combater problemas psicofísicos e emocionais, o Yoga ajuda a manter uma rotina equilibrada


Por Juliana Nascimento



Você já ouviu a expressão “meu corpo está aqui, mas minha mente está em outro lugar?”


Há quem separe o corpo e a mente em quadradinhos, como se fossem HDs de aparelhos tecnológicos, mas o corpo e mente humana, não são robôs. O Yoga vem em contrapartida para desmistificar essa premissa que a sociedade e a cultura contemporânea oferecem às pessoas, involuntariamente, de que as duas dimensões são separadas.


Segundo o artigo científico “Práticas integrativas e complementares no SUS: os benefícios do Yoga e da Meditação para a saúde do corpo e da alma”, publicado em 2017, na Universidade Metodista de São Paulo, por Alexandre Melo Medeiros, o Yoga e a meditação unem corpo, mente e alma e, vai muito além de uma prática de posturas corporais e técnicas de respiração, ele possui eficácia comprovada para saúde do corpo e da mente.


Para Medeiros, o Yoga tem como objetivo promover no praticante a vivência da libertação de sofrimentos e dores corporais e auxilia na prevenção de doenças, cuja origem, muitas vez, surgem do estresse. E a prática ajuda a dar ressignificação a um novo estilo de vida.



YOGA COMO PRÁTICA TERAPÉUTICA


Em 2017, o Ministério da Saúde aprovou duas portarias, uma nº145 em janeiro e, a outra nº 849 em março do mesmo ano, da qual se refere à Política Nacional das Práticas Integrativas e Complementares (PINPIC), no Sistema Único de Saúde (SUS) incluindo o Yoga e meditação como formas terapêuticas para saúde do corpo e da mente.


Prova prática dos benefícios do Yoga, que envolve respiração, posturas (asanas) e meditação, é a professora de Yoga, Núbia Ronchisel, formada em Yoga Clássico com especialização em Alinhamento Postural e Vinyasa. Ela começou a praticar Yoga por busca particular para manter-se saudável, e acabou se autodescobrindo e buscando mais conhecimento, sobretudo para repassar para outras pessoas.


“Quando estudamos Yoga, aprendemos que muitas das separações que fazemos, são apenas uma construção. Como, por exemplo, a separação de nós com o universo (todo), não existe, pois tudo o que faço impacta diretamente no universo e vice-versa. O mesmo acontece com o nosso corpo e mente, não existe uma separação. O que acontece muitas vezes é que estamos tão distantes de nos perceber, que criamos uma barreira interna, nosso corpo está aqui, mas a mente está em outro lugar. Com Yoga, aprendemos a unificar corpo e mente no único momento que existe: o agora”, destaca Núbia.




A professora Núbia explica ainda que, as técnicas fisioterapêuticas, que integram a unificação do corpo e mente, ajudam no sistema nervoso e respiratório e em outras funções do nosso corpo. Ela pontua alguns proveitos:



ASANAS: posturas corporais que beneficiam as articulações, glândulas, centros nervosos, músculos e outros órgãos.


PRANAYAMAS: Exercícios de respiração que auxiliam o organismo através do controle respiratório.


BANDHAS: Automassagens, que atingem as regiões mais profundas do corpo.


KRYAS: Técnicas de purificação, que promovem limpeza das mucosas.




YOGA: AUTOCUIDADO E PROMOÇÃO À SAÚDE


De acordo resultados do artigo “Yoga e promoção da saúde”, publicado na Biblioteca Eletrônica Científica Online (SCIELO), em 2014 por representantes da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO), 74,74% dos participantes de um grupo de Yoga, revelaram que a prática trouxe eficácia para aliviar dores, estresse, além de fomentar aumento de autoestima, autocuidado, promoção à saúde física e mental.


O impacto disso, revelou ainda, a diminuição de ansiedade, dores de cabeça e de estômago, estresse, dores nas articulações, insônia e asma. Esses resultados apontaram também mais qualidade de vida nas dimensões psicológicas, biológicas e espirituais.


Ainda segundo esse artigo, a “cultura de paz” que o Yoga oferece ajuda na abrangência da tolerância, reeducação alimentar, qualidade do sono e ritmo cardíacos, requisitos os quais são fundamentais para promoção à saúde, sobretudo em tempos de pandemia e muito estresse.


Em relação a isso, a professora de Yoga Ronchisel detalha: “Quando exercemos nossa respiração de forma consciente levamos vitalidade (do sânscrito Prana, energia vital) para todo o prolongamento do nosso corpo, fazendo com que todos os nossos órgãos, glândulas e funções vitais tenham seu funcionamento preservado e fortalecido”.

Em encontro a esses estudos científicos, a Organização Mundial de Saúde (OMS), apontou dados de 2020, que cerca de 10% dos brasileiros têm algum transtorno de ansiedade. Nesse sentido, pode-se afirmar que a prática regular de Yoga ajuda a combater a ansiedade e o estresse, pois cria-se o hábito de meditar, estimular a paciência e resiliência, e principalmente aceitação.


Compreender que algumas posturas serão feitas naquele dia e outras não e que tudo isso faz parte do processo evolutivo é essencial na vida de um ser humano.

Com o tempo, aprendemos a levar esses ensinamentos para fora do tapete de Yoga também. O Yoga pode ser praticado em qualquer lugar, além de ser uma prática acessível para todas as idades, corpos e condições físicas. O único requisito para iniciar na prática é justamente ter vontade e se colocar disponível para aprender mais sobre o seu ser”, destaca.




YOGA = VIVÊNCIA DO AGORA


Presente na vida da professora de Yoga Isabela Guilen, há quase 6 anos, a prática representa para ela um presente que a vida deu de transformação pessoal e emocional.


“O Yoga ajuda a relaxar e, quando se conecta nosso corpo de forma consciente com a respiração, não só o corpo, mas a mente entram em um estado mental e dá sensação de bem estar. Mas é importante a presença do professor, não só vídeos do YouTube, porque ele vai entender o corpo como um todo e o que cada um vai precisar. O professor vai dar um acompanhamento, ele funciona como um guia, uma ferramenta, mas quem faz o processo com o corpo e a mente é o aluno”, declara Isabela.

Para Isabela, que ensina há quase 2 anos, o Yoga ajuda a apreciar as coisas do presente, do agora. Isabela explica que muitas pessoas, as quais são ansiosas, vivem do futuro, as que sofrem com depressão vivem do passado, e o Yoga vem para mostrar que o que vale é pensar no momento e aproveitar cada instante. Ele derruba camadas que se constroem ao longo da vida e ajuda a transformar para um novo estilo de vida, aos poucos e progressivamente.


“Eu sempre falo com meus alunos durante as aulas, ligo para eles depois e procuro saber se estão gostando, o que mudaram, uns já me relataram que antes tinham insônia e estão dormindo melhor, outros falam que estão se alimentando melhor, que estão se relacionando melhor em casa. Eu percebo que não são apenas mudanças físicas e há uma transformação profunda do que te faz bem e filtrar as informações e vivência do presente”, enfatiza.




A redação do Entra Asanas preparou uma compilação de 5 exercícios mentais para você colocar em prática sua disciplina de equilíbrio:

1. Exercício de Concentração


Este exercício pode ser feito virtualmente em qualquer postura. Então feche os olhos, e faça alguns ciclos de inspiração profunda e exalação completa, no seu ritmo. Comece a perceber a interações mentais, de modo passivo, apenas observando o que se passa. Aos poucos, direcionando a atenção para um território de silêncio. Sempre mantendo a cadência da respiração, bem tranquila. Nesse território, você deve buscar um objeto de interesse. Pode ser uma coisa ou pessoa, ou uma projeção ou memória. Procure enxergar cada vez mais detalhes desse objeto, mantendo a respiração cada vez mais imperceptível. Aos poucos você se funde com o objeto e a própria percepção, integrando-se, em sincronicidade com o todo. Permaneça quanto tempo puder nesse estado e desenvolva suas variações.

2. Exercício de Consciência Corporal


Sente-se , de pernas cruzadas e com a coluna bem ereta. Perceba o pescoço se alongando e o topo da cabeça te puxando para cima. Cative a atenção aos movimentos do corpo enquanto respira. Procure inspirar todo ar que conseguir, e expirar todo o ar do corpo, atentando para micro-retenções entre cada etapa. Faça uma passagem mental por cada região do corpo, desde a sola dos pés, até a cabeça. Mentalize cada órgão do corpo, visualizando a imagem em movimento, interagindo com as informações que você tem de cada um. Desenvolva essa técnica em silencio por 15 minutos.

3. Exercício de Memória


Aqui, o objetivo é de recapitulação das recordações. A memória é filtrada por camadas de interpretações que adquirimos com o tempo, e com as modificações mentais que desenvolvemos.


Em estado meditativo, busque situar a sua atenção em um evento passado específico, e a cada inspiração e expiração, você vai observando cada vez mais detalhes. Busque por referências temporais e situacionais. Perceba o que ocorria ao redor do foco primário. Sempre percebendo cenas em movimento. Busque sons e cheiros das situações de modo a potencializar o processo. Pergunte-se ao inspirar. Ouça a resposta ao expirar. E vá cada vez mais fundo na memória. Os dados estão dentro de você, basta definir o alvo e fazer as perguntas certas. Então, respire.





4. Exercício de Projeção Mental


Segue a mesma linha do anterior. A diferença é que você vai dedicar atenção a uma criação mental. Uma projeção fiel de uma realidade mental que existe na fundamentação quântica universal. Tudo está entrelaçado e quanto mais real sua projeção for, quanto mais densidade quântica ela emanar, mais probabilidade de existir.


Então, faça o exercício de inspirar e expirar buscando total silêncio. O que pode ser não está na palavra que você conhece, então o intento deve ser de total silencio mental. Você deve perceber a inteligência intuitiva agindo, a cada ciclo da respiração. Perguntando e esperando uma resposta. Ela geralmente ocorre entre suas distrações e o silencio. Aqui deve ocorrer total isolamento. Você deve, realmente, estar só para ouvir a manifestação do que pode vir a existir. Respire até não perceber mais a respiração. Apenas a visão, sem querer. Aproveite o quanto puder sustentar.

5. Exercício de Abstração dos Sentidos


Aqui, a sugestão é fazer um Yoga Nidra ou "Yoga do sono", onde você sustenta uma experiência de não existência.


Deite-se com braços e pernas afastados, e a palma das mãos para cima. Faça, inicialmente, alguns ciclos, inspirando e exalando profundamente. Aos poucos, de forma intencional, você vai diminuindo a frequência e intensidade da respiração, até que ela se torna, praticamente, imperceptível. Procure levar a atenção a um território de relaxamento pleno, próximo ao estado de sono, porém sustentando, intencionalmente, a permanência consciente. Inspire se disponibilizando. Expire se sustentando. Em alguns momentos você pode perceber uns solavancos, que são reflexos do intento de sustentação. Experimente o quanto puder, sem ceder ao sono, e, então, sinta certa libertação.

[]

148 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo